quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Obstáculos institucionais dificultaram a implantação de terapias alternativas na saúde pública

Paulo Edson Reis Jacob Neto, presidente do Sindicato dos Terapeutas do Rio de Janeiro (Sinter-RJ), explica que foram apresentadas orientações em relação a inclusão da medicina não-convencional no sistema público de saúde na VIII Conferência Nacional de Saúde. As recomendações incluíam propostas para a formação de profissionais em homeopatia e ideias para a área de produção de meios terapêuticos, com estímulo a oficialização das demais práticas alternativas terapêuticas. “A discussão girou em torno da utilização ambulatorial das terapias naturais. Mesmo com tantas transformações nos anos 80, os gestores dos serviços de saúde não aderiram às práticas alternativas por causa dos obstáculos institucionais e da cultura política brasileira. Ainda sim houveram algumas ações locais para criar programas de terapias alternativas”, destaca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário